31/01/2017

Carro, chuva e amor


Uma cerveja gelada
Uma conversa no barzinho
Planejei bem direitinho
Estava armada a cilada
Ela começou calada
Mas depois foi se soltando
O gelo foi se quebrando
Era tudo que eu queria
Imaginando o que viria
Meu tesão já aflorando

Um papo apimentado
Começou logo a rolar
Ela ria sem parar
Parecia está gostando
Meu tesão foi aumentando
Parece que ela notou
Minha mão ela pegou
Depois deu uma apertadinha
Liberou uma risadinha
E de mim se aproximou

Primeiro rolou um beijo
Depois foi a pegação
Eu senti sua pulsação
Pressenti o seu desejo
Aproveitei o ensejo
Resolvi logo falar
Não dá mais para esperar
Meu amor vamos pro carro
Depois de tirar um sarro
Cuidaremos de amar

Tudo estava conspirando
O tempo logo fechou
Pouco tempo demorou
E a chuva estava rolando
Eu fui logo me animando
E pro carro fui correndo
Eu querendo ela querendo
Sua roupa ela tirou
No meu colo ela sentou
Suspirando e gemendo

Pouco tempo demorou
Chegamos a exaustão
Com a chuva em profusão
Eu gozei ela gozou
Ela se realizou
Ao delírio eu cheguei
Ao pouco me levantei
Com meu corpo extasiado
Ela estava ao meu lado
Meu sonho realizei

02/12/2016

Sem nossa Chape querida


O destino a Deus pertence
Diz o ditado popular
Quem poderia imaginar
Que seria assim nonsense
Uma tragédia que nos vence
Viagem sem despedida 
Para quem perdeu a vida
Tudo isso aconteceu
O Brasil amanheceu 
Sem nossa chape querida

Acabou-se um time inteiro
Faleceram jornalistas 
Dizem as capas das revistas
Um desastre verdadeiro
Sangra o povo brasileiro
Por uma lança desferida
Numa equipe aguerrida
Que pra nós nunca morreu
O Brasil amanheceu 
Sem nossa chape querida

Chora pátria pungente
Lamenta os entes queridos
Pranteia os filhos perdidos
Não esquece tua gente
Levanta, vai em frente
Nunca se dê por vencida
Tu serás fortalecida
Pelo pranto que verteu
O Brasil amanheceu 
Sem nossa chape querida

25/08/2016

Os oitenta anos de Dona Ilda


Ilda Emidio Monteiro
Que rara felicidade
Chegar a esta idade
E completa por inteiro
Nosso Deus te abençoou
Desde os tempos de menina 
E também te coroou
Com bondade cristalina
Tem a proteção divina 
Quem aos oitenta anos chegou

Agradeça ao criador
A saúde que ele deu
A senhora mereceu
Este prêmio com louvor
Dificuldades enfrentou 
Desde quando pequenina
Até Deus elogiou
Sua garra feminina
Tem a proteção divina 
Quem aos oitenta anos chegou

Pra chegar a esta idade
Da maneira que chegou
É prova de que lutou
Com muita dificuldade
Tudo que já conquistou
Foi trabalho de surdina
Com sua braveza mostrou 
Muita garra e disciplina
Tem a proteção divina 
Quem aos oitenta anos chegou

Feliz do filho que tem
Uma mãe tão poderosa
Divina e alterosa
Amiga como ninguém
Nunca nos abandonou
Fez da luta uma rotina
Com seu nome nos honrou
Pela força que domina
Tem a proteção divina 
Quem aos oitenta anos chegou

06/07/2016

Rimas de vaquejada


Minha mãe quando eu morrer
Não quero choro nem nada
Quero uma jaqueta de couro
E uma camisa encarnada
Pra quando eu chegar ao céu
Me lembrar do escarcéu
Que eu fazia em vaquejada

Na vaquejada o vaqueiro
Tem três dias de lazer
A rede armada na sombra
Mulher pra lhe dar prazer
Cavalo bom pra montar
Forró do bom pra dançar
E cachaça boa pra beber

Se eu sair do meu sertão
E viajar pra bem distante
Vou lembrar a todo instante
Das perneiras e do gibão
Vou deixar de ser vaqueiro
Nunca mais serei guerreiro
Das terras de lampião

Nasci na baixa da égua
Me criei no meio do mundo
Tirei carta de malandro
Certidão de vagabundo
Dos pilantras acho graça
Pois só deixo de beber cachaça
Quando o copo cair o fundo

Quando eu ficar bem velhinho
E boi não puder correr
Vou passar para o meu filho
E pros netos depois saber
Que um dia eu já botei boi
E saberem todos que foi
Bonito pra nêga ver

Sou vaqueiro do nordeste
Puxar boi é meu destino
Sou o rei da vaquejada
Puxo boi desde menino
O que foi de bom garrote
Segurei pelo cangote
Derrubei pelo caminho

Meu destino é ser vaqueiro
Eu nasci para aboiar
Correr boi na vaquejada
Da poeira levantar
Não adianta dar estudo
Pra vaqueiro cabeçudo
Que nasceu pra galopar

Por causa de uma morena
Vaqueiro eu deixei de ser
Vendi o cavalo e a sela
E com ela fui viver
Joguei tudo para o lado
Esqueci que sou casado
Não nasci para sofrer

Vou partir para distante
E a morena vou levar
Porque é ela nova e bonita
Eu não posso abandonar
Qualquer homem se condena
Com um beijo de uma morena
Quando ela sabe beijar

A pinga é filha da cana
E neta do Satanás
Acaba o pai de família
Desmoraliza o rapaz
Setenta capeta juntos
Aliados a dez defuntos
Não faz o que a pinga faz

Na vaquejada tudo é destino
Boi na faixa ou eu no chão
Quando entro numa pista
Eu entro de coração
Esqueço até a mulher amada
Pois correr em vaquejada
É viver com emoção

Meu esporte é vaquejada
Amo mesmo de paixão
Todo dia eu deito e sonho
Botando o gado no chão
Acordo no outro dia
Radiante de alegria
Pra viver nova emoção

Ser vaqueiro é ser artista
Derrubar boi é uma arte
Correr numa vaqueijada
Da minha vida faz parte
Quando o boi está chão
Eu me encho de emoção
Levanto meu estandarte

O vaqueiro nasce forte
Tem a munheca pesada
Corre boi na pista estreita
E vibra com vaquejada
Por que sem festa de gado
E sem mulher ao seu lado
Vaqueiro não vale nada

Meu cavalo e minha mulher
Caíram num poço profundo
O cavalo eu tirei logo
Em menos de um segundo
A mulher eu deixei lá
Porque eu sei que vou encontrar
Muitas delas pelo mundo

Meu esporte é vaquejada
Meu cavalo é Alazão
Quando encosto na cancela
Bate forte o coração
Quando o boi é liberado
Passo a volta apressado
Resultado é boi no chão

Beber não é meu vício
Bebo não é por nada
Bebo por ver no copo
A foto da morena amada
Bebo por eu ter pena
E medo que a morena
Morra no copo afogada

A mulher quando é bonita
Pelo andar se conhece
Quando pisa na cidade
A terra toda estremece
O velho diz que beleza
Seria minha realeza
Se papai do céu me desse

A Mulher quando é bonita
Ela tem o seu valor
Deixa o homem enfeitiçado
Gemendo sem sentir dor
Sonha com ela na cama
Dizendo você me ama
Me mata fazendo amor

Se pai do céu me desse
Três coisas eu queria
Um cavalo bom de gado
Uma fazenda na Bahia
Uma égua que eu gostasse
Uma morena que me amasse
E beijasse todo dia

Minha mulher e meu cavalo
Fugiram no mesmo dia
Do cavalo sinto saudade
Da mulher sinto alegria
Pois cavalo bom pra montar
É difícil de encontrar
Mas mulher tem todo dia

Na vaquejada tem que ter
Sempre um bom sanfoneiro
Um carro de som potente
Um repentista toadeiro
Um locutor de inscrição
E uma mulher do cabelão
Pra alegria do vaqueiro

Saio de casa na quinta
Dirigindo o caminhão
Na sexta vou ao forró
E caio na curtição
No sábado uma descansada
No domingo é vaquejada
Pra deitar gado no chão

O patrimônio de um vaqueiro
É um bom chapéu de couro
Um troféu da cor de ouro
Um cavalo altaneiro
Soltar boa gargalhada
Correr numa vaquejada
Essa é a sua diversão

Quero morrer sem flores
Nem velas no meu caixão
Quero uma jaqueta encourada
Uma espora e um gibão
Quero espinhos na coroa
Para ser lembrança boa
Dos tempos que fui peão

Vaquejada é minha vida
Minha paixão é muié
Só bebo cachaça pura
E freqüento candomblé
E para eu ser bem lembrado
Eu quero ser enterrado
No meio do cabaré.

Vaquejada é minha vida
O boi é a minha paixão
Coragem eu tenho de sobra
Pra colocar boi no chão
Por isso vivo animado
Pois vaquejada, cavalo e gado
Moram no meu coração

Se um dia faltar gado
O meu desgosto é profundo
Se um dia faltar mulher
Será meu desgosto segundo
Mas se vaquejada faltar
Bem alto eu vou gritar
Deus pode acabar o mundo

Quando eu tinha 15 anos
Meu pai veio me perguntar
Meu filho diz teu desejo
Que eu quero te ajudar
Quero um cavalo arreado
Pois nasci pra puxar gado
Respondi sem nem piscar

Sou vaqueiro do nordeste
Minha vida é campeá
A porta do meu destino
É a porteira do currá
Meu aboio é um grito triste
Pelo mundo todo persiste
Que alegra e faz chorar

Gosto de derrubar gado
De ver a poeira subir
Meu prazer é puxar boi
E ver o gado cair
É um prazer que me consome
O povo gritar meu nome
E a multidão aplaudir.

Gosto de ver e adoro curtir
O cabra que é bom de gado
Correr na sela deitado
Sem deixar o boi fugir
Com o boi preso na mão
Na faixa dando-lhe um puxão
Vendo a poeira subir

Uma festa que dou valor
É festa de vaquejada
Uma bonita toada
E beijinhos no meu amor
Curto festa de mourão
Gado caindo no chão
E um vaqueiro puxador

A loira me dava carinho
Mas vivia sempre carente
Conheci uma morena
Dessas muito independente
Por causa dessa morena
Deus de mim tenha pena
Mudei tudo de repente

Os meus carros luxuosos
Causam inveja a muita gente
Só tomo wisky importado
Não bebo mais aguardente
Pra falar com precisão
A loira me dá tesão
A morena me dá presente

Há coisas nessa vida
Que nunca posso deixar
Correr boi, dançar forró
Beber cachaça e raparigar
E por eu não ter compromisso
Só largarei tudo isso
No dia que Deus me levar

Confirme e nunca diga talvez
Homem que bebe pinga
Cachorro que come ovo
Mulher que dá a primeira vez
Por mais que estude profundo
Não tem doutor neste mundo
Que tire o vicio dos três

Vaqueiro não tem conforto
Como muita gente tem
Trabalha ganhando pouco
Não aprende a falar bem
Mas vive do jeito que gosta
Derruba gado, faz aposta
Sem ter inveja de ninguém.

Vou dizer o que é putaria
Aprenda e não discuta
Não é o que você pensa
É um caminhão cheio de puta
Um viado no volante
Uma lésbica como amante
E um corno que não escuta

Nunca me assombro com nada
Sou um homem destemido
Coragem eu tenho de sobra
Sou esperto e atrevido
Se gostar de mulher for pecado
Reze por mim um bocado
Pois acho que estou perdido

No tempo que eu vadiava
Todo mundo me queria
Bebia, pintava o sete
Fumava, jogava e fudia
Hoje que não bebo mais
Nenhum amigo é capaz
De me ofertar um bom dia

Voltarei logo a fumar
Beber, jogar e fuder
Que é pra todo mundo ver
E saber me respeitar
Pois quem bebe fuma e fode
Tem dinheiro e tudo pode
Ninguém chegue a duvidar

Deixei de beber cachaça
Porque ela me ofendia
Onde eu bebia, eu sentava
Onde eu sentava, eu caia
Onde eu caia, eu deitava
Deitava e não levantava
Não levantava e dormia

Canta o galo no terreiro
Na selva manda o leão
O homem manda na casa
No mar manda o tubarão
A mulher que é minha amada
E festa de vaquejada
Mandam no meu coração

Ela de Saia pra cima
Eu de calça pra Baixo
O começo é euforia
O final é só relaxo
Mulher perde a virgindade
Se ela sentir de verdade
O poder do meu abraço

Vida de gado é assim
No parque de vaquejada
O vaqueiro recebe aplausos
Vindos da arquibancada
O boi é sempre atração
O vaqueiro o campeão
Nesta árdua empreitada

Fonte: http://vaquejada2013.blogspot.com.br/ p/frases-de-vaqueijada.html
Adaptadas para cordel por mim



16/05/2016

A carta de Getúlio Vargas


Chegou ele ao Catete
Numa manhã sombria
Cantava um pintassilgo
Acordava uma cotia
Era final de agosto
Parecia bem disposto
Ao trabalho rotineiro
À noite foi se deitar
Não antes de escutar
O seu fiel camareiro

De repente um estampido
No quarto do presidente
Deram logo de cara
Com uma cena deprimente
Os braços postos em cruz
Pedindo perdão a Jesus
E o revolver bem ao lado
Diante do exposto
Getúlio estava morto
O fato foi consumado

Encontraram ao seu lado
Uma carta-testamento
Muito bem redigida
Expondo o seu tormento
Na carta ele dizia
Tudo que ele queria
Qual a sua intenção
Numa luta incessante
O povo leve adiante
A sua libertação

Ele estava pressionado
A entregar o poder
Estava desesperado
Não sabia o que fazer
Tinha grupos nacionais
E também internacionais
Inimigos ocultos
Querendo sua derrota
Fazendo-lhe chacota
Atirando-lhe insultos

Mas ele era valente
Um defensor do povo
Um líder martirizado
Querendo um mundo novo
Uma vez renunciei
Para o povo eu voltei
Pra luta continuar
Contra toda opressão
Resistindo a pressão
Ninguém vai me derrotar

Estava sendo acusado
De atentado de morte
Contra Carlos Lacerda
Que escapou por sorte
Quem morreu foi Rubens Vaz
Porém Deus sabe o que faz
A Justiça o salvou
Mas sem apoio político
Já velho e raquítico
Para a morte apelou

Sufocam a minha voz
Diz um trecho da carta
Impedem minhas ações
Traição não descarta
Mantenho a rebeldia
Batalho noite e dia
Por um povo sofredor
Que vive humilhado
Triste e desamparado
Precisando de amor

Nesta luta desigual
Já me sinto exangue
Que mais eu poderei dar
A não ser o meu sangue
Se as aves de rapina
Que vivem na latrina
Querem a todos sugar
Ofereço a minha vida
Sem ter a despedida
Que a todos queria dar

Mantenham-se unidos
Atendam meu suplício
A bandeira da luta
Este é o sacrifício
De um povo devotado
O meu sangue derramado
É uma chama mortal
Da vossa consciência
Agindo com sapiência
Nesta luta contra o mal

Eu vos dei a minha vida
E vos ofereço a morte
Diante das agruras
Fui um homem de sorte
Vou para a eternidade
Sabendo que na verdade
Esta é a minha glória
Por ser justo e fiel
E estar neste cordel
Entrando para História

19/01/2016

A criação do homem




Existem certas pessoas
Carentes de entendimento
Que acham que não foi Deus
Que criou o casamento

A princípio lhes parece
Que não foi conveniente
Unir dois seres avessos
De fato bem diferentes

Mas nós que somos cristãos
E temos boa memória
Conhecemos muito bem
Como surgiu essa história

Adão andava ocupado
Trabalhando com capricho
Se esforçando o dia inteiro
Pensando em nome de bicho

Era tigre, porco, tatu e leão
Adão andava inspirado
E foi mesmo abençoado
Com tanta imaginação

E é possível que o sujeito
Também tenha reparado
Que todo animal macho
Tinha uma fêmea do lado

E o Senhor demais atento
Sondando-lhe o coração
Sentiu que era preciso
Dar um fim à solidão

E disse: “Adão, filho querido,
Não quero te ver tão só.
Far-lhe-ei uma companheira,
Da costela e não do pó”

E pondo Deus em ação
Aquilo que pretendia
Nocauteou o nosso Adão
Dando início à cirurgia

E Deus cerrou-lhe a costela
Pondo carne no lugar
E assim fez a princesa
Esperando ele acordar

Quando o varão despertou
Daquele sono pesado
O corte da cirurgia
Já tinha cicatrizado

Então Deus trouxe a varoa
E entregando-a a Adão
Ouviu um brado de glória
E a seguinte exclamação

“Ela é carne da minha carne,
Ela é osso do meu osso”
E Adão foi pra galera
E fez aquele alvoroço

A partir daquele dia
O homem bem mais ocupado
Deixou para trás muito bicho
Sem nome catalogado

E até hoje rola um papo
Machista e bem corriqueiro
Que o homem é mais importante
Porque foi feito primeiro

Algumas mulheres se irritam
E afirmam de arma em punho
Que a vida da obra prima
Vem sempre após o rascunho

Mas há também homens
Que falam e acreditam
Que Deus fez Adão primeiro
Para Eva não dar palpite

Mas isso é irrelevante
Para o sucesso da vida a dois
Para ser feliz não importa
Quem veio antes ou depois

Porque Deus fez tudo perfeito
E discorde quem quiser
Mas o melhor da mulher é o homem
E o melhor do homem, a mulher

Fonte: internet
Proxima  → Página inicial